sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Noura

Situada no cimo de uma encosta e situada dentro da chamada Terra Quente.
A ocupação humana desta freguesia remonta já à época da Pré-História, como comprovam os inúmeros vestígios arqueológicos encontrados ao longo dos anos. Reconhecemos daí as ruínas de um antigo povoado castrejo.
Este nome Noura provém da evolução da palavra “Naùra” que quer dizer nora – engenho árabe utilizado na rega dos terrenos agrícolas. Aparece integrada no termo de Murça a quando da concessão do foral a esta por D.Sancho II a 8 de maio de 1224. É um aglomerado de características urbanísticas com uma rua principal ladeada pelas casas sendo algumas de interesse arquitectónico rural.
 A população dedica-se à agricultura cultivando a vinha, o olival e pomares com variadas frutas.
Tem uma igreja, capela, fornos de cozer o pão, azenha, lagares e moinhos famosos. Possui também uma associação recreativa cultural.
Fonte do texto:  Murça Terra de Encanto

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Tuning

Os automóveis não são um grande atrativo para mim, mas os que encontrei na IX Feira do Azeite, do Vinho e Produtos Regionais de Murça não eram "máquinas" normais e, pelo menos em termos fotográficos, eram fantásticos. Não resisti a fazer algumas fotografias deles. Penso que pertenciam ao NortTuning Team.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

À Descoberta de Murça

 A IX Feira do Azeite, do Vinho e Produtos Regionais foi uma boa "desculpa" para eu ir até Murça no dia 4 de maio. Já andava há algum tempo com vontade de dar um pulinho a Murça, porque Descobrir um concelho, é isso mesmo, ir lá, percorrer os locais e não ficar sentado à frente do computador lendo a Wikipédia.
Aproveitei a viagem para fazer algumas paragens em terras onde nunca tinha estado. Assim conheci Noura (nome que me custou muito a dizer!), Martim, Sobredo e dei um largo passeio pela vila.
Levei toda a manhã a percorrer as aldeias e cheguei a Murça à hora de almoço. Não demorei muito a encontrar um restaurante. Apetecia-me algo diferente, afinal ia a uma feira de azeite, vinho e produtos regionais. A minha desilusão foi completa: o restaurante tinha vários pratos à base de arroz e batata frita e algum tipo de carne. Detesto batatas fritas e da carne também é melhor nem falar.
Decidi que ao almoço não ia influenciar o meu espírito aventureiro e estragar a minha visita a Murça.
A vila pareceu-me muito bonita. O movimento era pouco, talvez porque o dia estava excecionalmente bom e num concelho agrícola há muito que fazer nos campos.
Comecei por ir à zona mais antiga da vila. A igreja matriz estava aberta. Tinha-se realizado um casamento e a entrada tinha o chão repleto de coraçãozinhos vermelhos. A decoração para evento no interior da igreja era à base de jarros, corroas de rei e rosas, tudo branco, muito bonito,
O altares estão muito bem cuidados, devem ter sido restaurados recentemente. O altar da capela-mor é especialmente elaborado, tal como os laterais do Senhor dos Paços e de Nossa Senhora (das Dores?). Além destes, a igreja tem mais três altares. O mais recente deve ser o do Sagrado Coração de Jesus. Exteriormente o templo tem uma aspeto bastante robusto, destacando-se a torre sineira lateral bastante imponente e "pesada".
Não muito longe fica o Pelourinho. É manuelino e dos mais bonitos que já vi. É monumento nacional desde 1910 e bem merece.
A Praça 5 de Outubro é o coração de Murça, espaço amplo, ladeado por edifícios antigos, históricos e importantes, o Pelourinho está num excelente cenário.
Mas o "símbolo" de Murça, a famosa porca, está noutro espaço a curta distância, também ladeado por um bonito espaço ajardinado. É mais natural que seja um porco, uma vez que assim acontece noutros pontos do nordeste e na vizinha Galiza. Possivelmente são monumentos megalíticos, símbolos da fertilidade.
Surpreendente é o Jardim do Paço. Não sei precisar os nomes das ruas mas um grande espaço com o Tribunal, a Biblioteca, um parque infantil e uma grande área ajardinada são, sem dúvida, um dos motivos de orgulho dos habitantes da vila e do concelho. São poucas as vilas e mesmo cidades, que se podem gabar de terem um espaço assim, aberto, moderno, bonito. O espaço ainda não fez um ano, as árvores ainda não cresceram. Se a autarquia conseguir manter o jardim limpo e tratado será o melhor cartão de visitas da vila.
Não me podia esquecer da "desculpa" para ir a Murça, a feira. A entrada era livre e o "aperto" a meio da tarde era pouco. Tive tempo para fotografar e conversar com os expositores. Os produtos expostos não eram apenas oriundo do concelho, mas de toda a região e mesmo alguns fora dela. O azeite e o vinho não se destacavam muito de outros produtos. Numa das primeiras bancadas estavam o toucinho do céu e as queijadas. São os doces mais característicos do concelho.
Sucederam-se o azeite, mel, vinho e o pão, simples, ou com carnes, recordando a feira do Folar de Valpaços. Havia ainda licores, queijos, enchidos, compotas, ginginha e chá.  Além dos produtos alimentares também estavam representados vários tipos de artesanato como os trabalhos em cortiça e couro, ponto cruz, facas, louças. Em termos de origem dos produtos, posso apontar para além do concelho de Murça, Mirandela, Bragança, Alfandega da Fé, Palaçoulo, Macedo de Cavaleiros, Vinhais e Vila Real.
No exterior havia animação. Aos microfones estava o Grupo de Cantares Amigos de Murça. Só se ouvia uma voz! Supostamente todo o grupo cantava mas alguém procurava todo o protagonismo.
Mais tarde ouviu-se Ruizinho de Penacova.
Em redor, em espaço mais aberto havia máquinas agrícolas, carros modificados, clubes e associações.
Depois de uma visita demorada a todos os espaços, voltei a passear pela vila. Segui até ao Jardim Municipal onde fiquei algum tempo a ouvir a passarada. É outro espaço fantástico, moldado à moda de outra época, mas cheio de bancos e de sombras. Assim haja pessoas para usufruírem dele.
Ao fim da tarde abandonei a vila. Foi uma visita muito positiva e que me possibilitou, além de visitar a feira, conhecer espaços que fazem a sede de concelho. Foi a primeira de outras viagens que espero fazer. A norte de Murça não conheço mesmo nada do concelho e há muito para Descobrir.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

IX Feira do Azeite, do Vinho e Produtos Regionais de Murça

Este ano, o evento conta com a novidade de incluir vários Workshops Gastronómicos para potencializar o melhor dos produtos da região, salientando-se o vinho e o azeite.
Serão 6 Workshops com a participação de 21 Chefes de cozinha, 4 escansões e a participação especial do apresentador Fernando Mendes e a vencedora do programa Masterchef Lígia Santos, coordenados pelo Chefe Gonçalves, que vão aliar o melhor dos produtos com o melhor dos saberes.
Poderão, em simultâneo, assistir às apresentações dos livros “Cozinha com identidade” do premiado chefe de cozinha com estrelas Michelin, Fausto Airoldi, e “Domingos à Mesa” do Chefe Cordeiro, conhecido por ser o júri dos programas Masterchef e top chefe, também ele premiado com estrelas Michelin.
Destaca-se, ainda, uma formação sobre o Vinho do Porto, Ilusionismo, fado, música tradicional e o conhecido festival etnográfico e folclórico de Murça, para além da popular noite musical de sábado, bem como a vertente desportiva com a realização, no dia 5, do “BTT Terras de Murça” e “Caminha pela vida”.
Durante os dias da feira, num âmbito de interculturalidade, Murça recebe a comitiva da província de Lunda Norte em Angola, bem como a da comitiva da cidade Francesa La Couture para participação na homenagem ao Soldado Milhões, herói da primeira guerra mundial que ficou celebre na fatídica batalha de La Lys.
O evento culminará no dia 8 de Maio, feriado municipal, com a cerimónia solene evocativa dos 789 anos de autonomia municipal onde será atribuída a medalha grau ouro a 2 importantes instituições de Murça: a Adega Cooperativa e a Cooperativa dos Olivicultores, seguido da inauguração de um monumento simbólico de boas vindas a Murça colocado junto do nó da nova autoestrada transmontana.


Fonte: Sítio Oficial do Município de Murça

quinta-feira, 21 de março de 2013

À Descoberta do concelho de Murça

A série de Blogues À Descoberta iniciou-se em 2004 em Miranda do Douro. Na altura não estava nos meus planos percorrer todos os concelhos de Trás-os-Montes, descobrindo as mais pequenas aldeias e lugares de cada concelho, mas, aos poucos, é isso que tem acontecido.
Murça é um concelho pequeno, mas completamente desconhecido para mim. Passei uma ou duas vezes pela vila, mal me lembro dela. Visitei algumas vezes, na minha juventude, Sobreira, uma anexa da freguesia de Candedo.
Desde que surgiu a ideia de estender a série de Blogues ao concelho de Murça, já fiz alguns passeios fotográficos a algumas aldeias, mas falta ainda arranjar algum material auxiliar, como livros, roteiros, panfletos, etc. para começar a verdadeira Descoberta do concelho de Murça.
Neste blogue mostrarei um pouco das minhas descobertas. Serão coisas pessoais, quer as fotografias quer os textos. O principal objetivo é conhecer o concelho, se com isso eu puder ajudar na sua divulgação, tanto melhor.
Paralelamente criei uma página no Facebook chamada Murça, concelho, onde partilho algumas coisas minhas e outras de outras pessoas e instituições. Os blogues são o meu meio de divulgação preferido, mas não se pode desprezar o universo de pessoas e a facilidade de utilização que existe no Facebook. A página no Facebook e este Blogue vão complementar-se, mas a página já leva vantagem uma vez que já é conhecida e já tem 67 "Gosto".
Se gosta verdadeiramente do concelho de Murça, ou de algo nele, está convidado a acompanhar-me na página, no blogue, ou nos dois.
Endereço do Blogue
http://descobrirmurca.blogspot.pt
Endereço da página no facebook
https://www.facebook.com/murca.pt

nota: na margem direita aparecerão ligações para outros blogues, mas aqui fica uma lista com alguns
TrasOsMontes.Net  + Miranda do Douro + Vila Flor + Carrazeda de Ansiães + Torre de Moncorvo + Mogadouro + Freixo Espada à  Cinta + Alfândega da Fé + Chaves + Valpaços + Murça + Mirandela + Vimioso + Alijó + Foz Côa + Bragança + Macedo de Cavaleiros + Vila Real + Vinhais